COMUNICADO DOS PÁROCOS DA VIGARARIA DE GAIA-NORTE AOS PAROQUIANOS

Como é do conhecimento geral, os últimos acontecimentos na vizinha paróquia de Canelas, pela sua notoriedade, persistência e gravidade, levantam algumas questões que nós, párocos da Vigararia de Gaia-Norte, julgamos conveniente esclarecer para o bem e a paz nas nossas paróquias:

1.    Um sacerdote quando é enviado pelo Bispo Diocesano para uma paróquia é para aí servir a Igreja, Corpo de Cristo, anunciando com fidelidade a Sua mensagem, alimentando e fortalecendo com a graça dos Sacramentos a vida cristã dos crentes. Esta missão exige a comunhão com o Bispo da Diocese, sucessor dos Apóstolos, a quem Jesus Cristo confiou a Sua Igreja e a quem o sacerdote, no dia da sua ordenação, prometeu obediência e reverência. Como nos diz o Papa Francisco, “as comunidades cristãs reconhecem no Bispo um grande dom e são chamadas a nutrir uma comunhão sincera e profunda com ele, a partir dos presbíteros e dos diáconos. Não existe uma Igreja sadia se os fiéis, os diáconos e os presbíteros não estiverem unidos ao Bispo. Uma Igreja não unida ao Bispo está doente.”

2.    É nesta perspetiva de comunhão com o Bispo da Diocese que os paroquianos devem olhar para o seu Pároco. Quando tal não acontece, surge a divisão, o desrespeito, a violência, o sentimento de orgulho e vingança, nega-se o cristianismo e destrói-se a Igreja. É uma tentação antiga. Já na comunidade de Corinto, como nos diz São Paulo (1 Cor. 1,13), alguns tinham escolhido, como referência, Pedro, outros Paulo e outros Apolo. O Apóstolo teve que dizer-lhes que a referência para o cristão é apenas Cristo, o centro da unidade, lembrando-lhes que “Cristo não pode nunca estar dividido”.

3.    Como nos diz ainda o Papa Francisco,  “numa comunidade cristã, a divisão é um dos pecados mais graves, porque a torna sinal não da obra de Deus, mas do Diabo, o qual é por definição aquele que separa, que arruína os relacionamentos, que insinua preconceitos...  Deus, ao contrário, quer que cresçamos na capacidade de nos aceitarmos, de perdoarmos e de nos amarmos uns aos outros, para nos assemelharmos cada vez mais Àquele que é comunhão e caridade.”

4.    Queremos afirmar a nossa alegria de fazermos parte do Presbitério desta Diocese do Porto. Neste momento de especial sofrimento para o coração do nosso Pastor, queremos renovar a nossa profunda comunhão com o nosso Bispo, D. António Francisco, Bispos Auxiliares e Vigários Gerais, e lamentamos o clima de suspeição gratuita e generalizada que alguns querem fomentar sobre a nossa Diocese.

5.    Ao Padre Albino, Pároco de Vilar de Andorinho, desta Vigararia de Gaia-Norte, e agora nomeado Pároco de Canelas, queremos manifestar-lhe, de um modo muito especial, a nossa fraterna solidariedade, agradecer-lhe o testemunho de disponibilidade para servir a Igreja, garantir-lhe que não está só, e esperar que regresse, quanto antes, a concórdia, a paz e as condições para a vivência da liberdade religiosa em Canelas.

6.    Finalmente, invocamos o Espírito Santo, para que, com a sua graça e a abundância dos seus dons, a todos nos ajude a viver verdadeiramente como Igreja, Corpo de Cristo, unidos como família, sinal visível e belo do amor de Cristo.

Vila Nova de Gaia, 22 de novembro de 2014  

Os Párocos de Gaia-Norte
SEMANA DOS SEMINÁRIOS DIOCESANOS


ORAÇÃO

Senhor, nosso Deus, nós Vos bendizemos,
porque nos chamastes a ser cristãos
e discípulos de Jesus Cristo, o único Mestre.
Nós Vos damos graças pelos pastores,
que nos conduzem às fontes da Palavra,
ao banquete da Eucaristia
e aos caminhos da Reconciliação.
Nós Vos pedimos pela Igreja,
para que, testemunhando a alegria do Evangelho,
gere no seu seio santas vocações sacerdotais.
Por intercessão de Maria, 
nós vos pedimos pelos nossos Seminários, 
escola de cristãos, discípulos e pastores:
servidores da alegria do Evangelho.
Ámen.